Home | Bitered

Cultura Pop do mundo.

A jovem e promissora industria de eSport no Brasil e no mundo #bigfestival2018

A equipe da Bitered esteve presente nesta sexta-feira (29) no maior festival de games independentes da América Latina o BIG Festival ou Big Fest (Brazil’s Independent Games Festival). E com muito prazer, tivemos a chance de presenciar a palestra sobre um cenário bastante competitivo e promissor no mundo e principalmente no Brasil, o eSports.

Com a presença de William (Bill) Le Voir-Berry, desenvolvedor da IBM, Noah Whinston, CEO do time de eSport “Immortals” e Barbara Gutierrez, jornalista de games e esportes eletrônicos. A palestra é regida por Barbara, que junto a eles discutem sobre qual é o futuro dos eSpots e o Brasil no cenário internacional.

Os video-games fazem parte do cotidiano de milhares de pessoas ao redor do mundo, seja interagindo com ele diretamente ou assisntido uma gameplay de um jogador ou um social midia. A competitividade entre jogadores é crucial para o envolvimento deles com o ambiente e é exatamtemente essa a similaridade entre esportes com o eSports.

Publico, pontuação, tempo, competição, e por ai vai… Tudo o que engloba algum tipo de esporte já estava dentro dos jogos a bastante tempo, mas ainda faltava a premiação e o show business necassario para que o eSport tornasse a ser um trabalho.

Noah e Bill enxergam que este cenario tem muito a crescer não apenas pelas estaticas atuais da quantidade de pessoas que assitem os eSport’s, mas pelo futuro dessa área como um todo.

Diferente de qualquer outra industria, o eSports vem se sustentando a serviço de desevolvedores e seu próprio público, com poucas ações de marketing incentivando as pessoas a entreram na rede encontraram o ponto perfeito de ignição para o investimento. O cenário promissor com claro incentivo de dentro da area não por fora, traz grande segurança para quem quer apostar nesse mercado.
Artistas e empreendedores analisam essa segurança e já investem em eSports em diferentes partes do mundo, mas em paises com pouca infraestrutura e reconhecimento isso de alguma forma esta acontecendo, mas muita com paciencia. No Brasil esse reconhecimento vem de poucas ações isoladas que entedem a importantcia do cenário e conseguem encontrar algum tipo de retorno com isso.
Seja pequeno ou grande uma coisa é fato no país, temos um grande mercado de games e eSports na nossa cultura, de tal forma que o Brasil tem grandes times competidores e players reconhecidos mundo a fora, mas como Noah e Bill afirmam “tem muito para investir e melhorar.”

Deixe uma resposta