Home | Bitered

Cultura Pop do mundo.

Mandy (2018): uma reverência aos clássicos ‘trash movies’ de terror

“O exagero nem sempre é um problema.”

GUSTAVO ALVES

Dirigido por Panos Cosmatos, “Mandy“, carrega aquela atmosfera peculiar entre os filmes do gênero “gore” e “trash”, ambientada nas florestas litorâneas dos Estados Unidos, o casal “Red” (Nicolas Cage) e “Mandy” (Andrea Riseborough) convive pacatamente sem muitas preocupações ou emoções, mas como de costume, principalmente em filmes do estilo, algo inesperado surge para separa-los. Embora eu realmente tenha me envolvido com o filme, houve uma indagação que ecou em mim após eu terminar de assistir, questionando, como uma historia tão previsível consegue subverter a expectativa e intensificar minha experiência com o gênero?

Bom, a resposta esta em uma série de fatores, a principal e mais evidente, é a sua estética, embora o filme beba muito da essência do gênero, existe uma pretensão enorme em trazer uma linguagem visual diferente com o jogo de cores, e é exatamente nesta abordagem que ele se destaca e exagera muita das vezes, o contraste entre vermelho e azul, vai de bonito a estranho e ajuda a intensificar momentos de transe, loucura, raiva, tristeza e mistério, que definitivamente vão te tirar da zona de conforto.

A trama divida da formula tradicional, entre três atos, evolui do calmo e natural, ao pico final de histeria, as atuações tem uma pegada muito mais expressiva, portanto, situações simples são constantemente exageradas ao longo do filme e isso tem um valor narrativo e estético perfeito para caracterizar os atores caricatos, e inegavelmente Nicolas Cage faz um grande trabalho interpretando “Red” um personagem que aspira vingança, outros personagens como o de Jeremia Sand (Linus Roache) consegue encorporar o caricato muito bem em função da narrativa, realçando a atmosfera assim como, em “Machete” e “Evil Dead 2“.

É ação grotesca gratuita, excesso de sangue e violência, que fazem jus ao termo “gore” para o filme, mas embora sabemos, quem e como vai terminar ou ganhar, cada uma delas entretêm com peculiaridades e soluções criativas e isso é determinante para você se envolver diretamente com o filme.

Deixe uma resposta