Home | Bitered

Cultura Pop do mundo.

Próximo Xbox será lançado com dois modelos diferentes

Não é novidade nenhuma que a Microsoft já está trabalhando na próxima geração, aliás, a própria companhia anunciou isso na sua conferência da E3 2018, deixando os fãs da na expectativa por mais detalhes.

As novas informações sobre o próximo Xbox não vêm da Microsoft, mas antes do autor Brad Sams do Thurrott, uma fonte que já provou ser de confiança quando o assuntos são informações de produtos da Microsoft.

Na E3 2018 assistimos a várias companhias a apostarem em serviços de streaming e parte da estratégia da Microsoft para a próxima geração passa por aí. O plano é lançar duas peças de hardware: um console tradicional no estilo Xbox 360 e do Xbox One; e outro console relativamente fraco que vai rodar os jogos através do serviço cloud da Microsoft.

Ainda não existem informações acerca das especificações do console tradicional que a Microsoft vai lançar, apenas que está com uma data prevista de chegar ao mercado em 2020. No entanto, é razoável assumir que o console terá mais capacidade do que o Xbox One X, o console que a Microsoft lançou em Novembro de 2017 e que continua a ser o console mais poderoso do mercado.

Relativamente o console de streaming, que juntamente com o console tradicional pertencem a uma linha de dispositivos com codinome Scarlett, será que essalinha terá poder de computação suficiente apenas para lidar com as tarefas locais como processamento de imagem, recepção dos controles, detecção de colisões e outras pequenas coisas.

O poder do console de streaming estará na Cloud. Recorrendo à sua rede de servidores espalhados pelo mundo, a Microsoft parece ter descoberto uma forma de lidar com a latência associada a jogar através de streaming. A vantagem deste console é que será mais barato do que um console tradicional, embora o plano da Microsoft seja lucrar através de serviços como o Xbox Live e Xbox Game Pass.

Todos os novos jogos vão rodar em ambos consoles, significando que não haverá uma separação da base de jogadores e que não haverá títulos exclusivos para nenhuma das plataformas. O console de streaming também está agendado para 2020 e está numa fase de desenvolvimento mais avançada do que o outro.

Será que a Microsoft finalmente descobriu um novo jeito de espalhar e baratear os custos para um console através da nuvem? ou ainda é muito cedo para se falar em uma nova geração?

Deixe uma resposta