Tão Longe é Aqui (2013): histórias de luta e resistência

Tão Longe é Aqui (2013): histórias de luta e resistência

Acompanhamos a voz, a presença e as imagens de Elisa Capai, diretora do documentário ‘Tão Longe é Aqui‘ durante o seu itinerário afriacano. A missão, vai além da comtemplação turistica ou cultural que a África pode proporcionar. Está alí pelos relatos, oferecendo na pronúncia o debate, no enquadramento o protagonismo, entre as mais diversas figuras femininas que encontrou ao longo de quase sete meses de viagem no continente.

Elisa nos imerge nessas histórias relacionando-as, ante suas indagações e pensamentos particulares, que aos contrastes constrói uma narrativa que se desenvolve tanto na beleza, quanto na subjetivade. A grande quantidade de sorrisos e olhares de crianças e jovens mirados para a câmera, a diversidade, a proeminência artistica, entre várias outras riquezas destes países africanos, que impressos na imagem nos imprecionam, desviam a atenção que a voz pontencializa, seja no relato do trabalho, da rotina, da educação, dos sonhos, mas principalmente, das violências que circundam a vida de varías mulheres.

Durante as entrevistas com a diretora, as diferenças e imposições culturais e religiosas de um machismo estruturalmente enraizado em cada modelo social e a resistência feminina para reverter esses processos, questiona a própria experiência de Elisa, que se queixa dessa realidade, ao contestar, “Como seria se minha filha nascesse aqui?”, “Quais seriam as minhas funções ou o que eu teria que me submeter?” e como espectador sentimos a franqueza dessa relação e refletimos em seus devaneios a subjetivade da denúncia que o filme captura.

O ritmo paciênte ajuda a desenvolver essa quase intima relação que Elisa nos compremete, tornando a narração um artifíco crucial para amarrar essas histórias que vai nos engajando aos poucos dentro da perspectiva da diretora. Entre momentos de transe e até delirio ‘Tão Longe’ nos atrai para perto e se propõe a mobilizar, a dar voz e a questionar.

Gustavo Alves

É isso ai pessoal
Fechar Menu