Watchmen S01E02: além dos mistérios

Watchmen S01E02: além dos mistérios

CONTÉM SPOILLERS

Após a euforia e discussão do primeiro episódio de Watchmen, a série da HBO chega ao seu segundo capítulo de maneira fabulosa, indicando os rumos que guiarão essa trama no futuro e criando não mistérios, mas dúvidas extremamente curiosas sobre o que diabos está acontecendo na cidade de Tulsa.

A questão da guerra de cores é algo intrínseco à essa trama, assim como a Guerra Nuclear era à história original de 1986. O universo é mesmo, vários anos depois, e os problemas são outros. Ozymandias e Dr Manhattan se juntaram naquela época para acabar com a tensão nuclear e assim criar um inimigo em comum, mas os rastros do que fizeram e todos que estavam envolvidos criaram algo muito mais difícil de se combater, aqui retratados como a Sétima Kavalaria, um grupo supremacista branco que é quase uma ”continuação” da KKK.

A escolha da cidade em que se passa toda a obra também não é a toa. Tulsa já foi considerada a ‘Wall Street Negra’ dos Estados Unidos, até que um ataque de supremacistas destruiu a cidade e matou a maioria dos seus moradores, que eram negros. Como se não bastasse todos esses aspectos serem debatidos, ainda há toda gama dos vigilantes e da polícia, que trabalham em conjunto atualmente e retratam uma sociedade com medo. Medo de sair na rua, medo de falar o que não deve, e medo de mostrar o rosto.

A questão midiática novamente presente na obra, agora de maneira atualizada, com os heróis do passado virando produtos que retratam a justiça e bondade, enquanto a sociedade está em completo caos. Temos diversos personagens apresentados já no segundo capítulo, todos seguindo o mesmo fio da meada por perspectivas diferentes. O policial Glass, a vigilante Night, os supremacistas, as famílias. O roteiro ainda tem muito que explorar sobre esses personagens nos próximos episódios, já que cada um se mostrou muito único em suas perspectivas de tudo que está acontecendo.

Interessante como a trama consegue se reinventar e caminhar com os próprios pés ao mesmo tempo que continua diretamente a história de Moore e Gibsons dos quadrinhos. Temos aqui a questão de Adrian Veidt com seus clones e do Doutro Manhattan em algum lugar de Marte. Veidt pode parecer ter endoidado depois de velho, mas talvez um plano maior esteja sendo elaborado em sua enorme mansão com seus criados bizarros.

Muita pedra ainda há de rolar, e as coisas prometem ficar ainda mais bizarras e violentas daqui pra frente, levando em conta o que foi visto nos dois primeiros episódios dessa série que já promete muito.

Gabriel Lira

Apenas um cara tentando fazer a coisa certa.
Fechar Menu